Perguntas frequentes

1. O tratamento com implantes dói?

Dr. José Bernardes: Não. Atualmente existem técnicas que permitem reduzir o tamanho do corte para colocação do implante. Todo o procedimento é feito com anestesia e para o pós-operatório, são indicados aos pacientes analgésicos e/ou antibióticos, conforme cada caso.

É importante lembrar que o tratamento causa o menor trauma possível, mas por ser um procedimento cirúrgico, é comum o aparecimento de edema (inchaço).

2. É possível fazer um implante sem cortes?

Dr. José Bernardes: Não. Mesmo com equipamentos modernos ou tratamentos computadorizados, o procedimento requer cortes para que os pinos de titânio sejam colocados nos ossos maxilares do paciente. O que o mercado tem chamado de "implante sem cortes", é na realidade um procedimento com cortes arredondados.

No entanto, a necessidade de cortes não implica em dor. O procedimento é realizado com sedativos e/ou anestesia.

3. Implantes e próteses dentárias são a mesma coisa?

Dr. José Bernardes: Não. Implantes dentários servem para substituir a raiz de um ou mais dentes, no caso de perda ou impossibilidade de aproveitamento dessa estrutura. Os implantes são pinos confeccionados em titânio que podem ser colocados dentro dos ossos maxilares do paciente e fixam próteses de um ou mais dentes.

As próteses, no entanto, substituem os dentes (coroas dentárias) e podem ser colocadas a partir dos dentes vizinhos (naturais) ou sobre implantes.

4. Qual é o risco cirúrgico? Pode haver rejeição do implante?

Dr. José Bernardes: O risco cirúrgico é muito baixo e a anestesia é local. Como os pinos de implantes são feitos de puro titânio (um material que se integra totalmente ao organismo), o risco de rejeição é praticamente inexistente.

No entanto, é preciso se certificar da qualidade dos materiais usados e da forma de manuseio dos implantes, já que qualquer contato com outro material que não seja o titânio pode contaminar os implantes.

5. Quanto tempo demora todo o tratamento de implantes?

Dr. José Bernardes: O tem po total do tratamento depende do caso de cada paciente. Após a cirurgia de implantes, é preciso esperar entre 2 a 6 meses para que o(s) pino(s) de titânio se integrem aos ossos maxilares. Esse fenômeno é conhecido como osseointegração. e permite que os pinos sustentem as próteses dentárias definitivas.

6. Qualquer paciente pode receber implantes?

Dr. José Bernardes: Depois da fase de crescimento ósseo, qualquer paciente em bom estado de saúde pode fazer o tratamento com implantes. Por ser um procedimento cirúrgico, sempre é necessário fazer avaliações adequadas antes de iniciar o tratamento.

7. É preciso realizar algum tratamento antes de colocar os implantes?

Dr. José Bernardes: Em alguns casos, sim. Um bom planejamento da cirurgia de implantes é fundamental para identificar e tratar problemas de gengiva, infecções ou realizar a extração de dentes antes da colocação dos implantes.

8. Quanto tempo leva uma cirurgia de implantes?

Dr. José Bernardes: A cirurgia de implantação é rápida, mas varia de acordo número de implantes que precisam ser colocados. Em média, todo o procedimento dura cerca de uma hora, incluindo os preparativos para a cirurgia. Em casos mais complexos, como o de enxertos ósseos, a cirurgia é mais longa.

9. Como é o pós-operatório da cirurgia de implantes?

Dr. José Bernardes: Mesmo sendo um procedimento cirúrgico, o pós operatório é tranquilo. É preciso seguir corretamente as orientações do dentista e em casos de dor, analgésicos leves já são eficazes.

10. Posso comer de tudo após a colocação da prótese?

Dr. José Bernardes: Não há restrições alimentares rígidas, porém recomenda-se um cuidado maior, já que alguns alimentos podem fraturar até mesmo os dentes naturais.

11. Como é o resultado estético dos implantes?

Dr. José Bernardes: O implantes servem para substituir dentes ausentes e cumprir as funções estética, fonética e mastigatória da dentição. Quanto melhor o material realizado e mais bem planejado o tratamento, melhor será o resultado estético.

12. O que é o enxerto ósseo?

Dr. José Bernardes: A ausência de dentes provoca a gradativa reabsorção dos ossos maxilares, por isso, em alguns casos é preciso realizar enxertos ósseos antes do procedimento de implantação. O enxerto ósseo vai preencher ou engrossar o maxilar que vai receber o implante e permitir que a nova raiz (pino de titânio) fique bem fixada.

13. Que tipo de manutenção implantes exigem?

Dr. José Bernardes: Implantes exigem os mesmos cuidados que os dentes naturais, como boa escovação e uso do fio dental. No entanto, periodicamente, é preciso realizar limpezas com a remoção da prótese, para uma profilaxia mais profunda.

14. Quanto tempo vai durar o implante?

Dr. José Bernardes: Quando o tratamento é bem feito, o implante deve durar para sempre, já que ele se integra totalmente ao osso do paciente e não é visto como um corpo estranho pelo organismo.

No entanto, a manutenção correta e visitas regulares ao dentista são fundamentais para assegurar a durabilidade do implante.

15. Em que situação os implantes não devem ser colocados?

Dr. José Bernardes: O implante não é indicado para crianças em fase de crescimento, adultos que possuem doenças ósseas, dependentes químicos ou pacientes com problemas graves de saúde, que podem comprometer o ato cirúrgico.

16. Por que ocorrem os insucessos no tratamento com implantes?

Dr. José Bernardes: Insucessos no tratamento com implantes podem ocorrer quando o problema bucal do paciente não foi bem diagnosticado e o procedimento foi erroneamente indicado. Além isso, técnicas odontológicas inadequadas e maus cuidados com a manutenção por parte do dentista e do paciente comprometem o bom resultado do tratamento.